Poema confinado #07



Uma série de poemas onde pretendo codificar em versos os afetos marginais de se viver em um país como o Brasil de 2020.

#07

Os olhos da massa substituem e/ou corroem o cérebro

Memória instantânea, como o macarrão de origem asiática

Lembrar que votou em corrupto e que o discurso dele é falso

Mais fácil reclamar da dor ciática

Um país não tem nervos e nem espinha

Um país é feito de limites imaginários e genocídios reais

O gado muge enquanto segue o batismo da cloroquina

Ignoram a ausência de árvores no pasto, sem abrigo para os próximos temporais

Inacreditavelmente, para o idiota

Mais de oitenta mil mortes em quatro meses é pouco

Seu país é um abatedouro, patriota

Ostenta o porte de arma enquanto serve a própria cabeça para um louco.


#poema #brasil #escrita

19 visualizações
  • skoob-icon-300x300
  • YouTube
  • Instagram

© 2020 por Leonardo T. Vieira.